06 junho 2017

Resenha #140 - Setembro (A Garota do Calendário Vol 9)!





Título: Setembro
Coleção: A Garota do Calendário Vol 9
Autora: Audrey Carlan
Editora: Editora Verus
Ano: 2016
Especificações: Brochura | 144 páginas
ISBN: 13: 9788576865308
 Sinopse
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser. Em setembro, Mia será obrigada a dar o cano no cliente do mês, pois um problema urgente de família exige sua atenção. Ela vai voltar para Las Vegas e ficar cara a cara com o passado, num reencontro que pode reabrir feridas antigas.

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Cheguei em 'Setembro' (oba) e neste mês não temos cliente (é isso mesmo, sem clientes), pois o pai de Mia piora seu estado de saúde que já não era dos melhores e ela pega o primeiro voou para junto dele. Daí começa seu sofrimento. Esse volume marcou todo o diferencial e ruptura dentro da série de Audrey Carlan e na maior parte dele eu gostei, mas confesso que, pra mim, poderia ter sido melhor.

'Setembro' é DIFERENTE de todos os outros meses, pois não vamos ter a premissa erótica (primeiro fator que me desagradou), no lugar temos um grande drama. E pessoalmente não consegui me envolver por ele ou sentir apego. Em diversas passagens me pareceu só uma forma de tentar ganhar páginas e tempo.

Um mérito que não pode ser retirado desse volume é que é um mês cheio de acontecimento e se eu entrar em detalhes perde totalmente a graça de ler. O que posso dizer é que nossa protagonista irá chorar rios e mais rios. Eu iludida, achei que ela já estava sofrendo muito, mas a autora achou que não. Esse sem dúvidas foi o volume que Mia mais sofreu e isso se tornou algo um pouco massante já que a obra não tinha muitos alívios para o leitor se distrair. Sem o quesito erótico ou qualquer outro envolvimento amoroso, as coisas se tornam cansativas e pesadas.

'A Garota do Calendário' é sempre uma leitura muito rápida comigo, mas esse foi o primeiro volume da série que demorei a ler, pois não gostei do desenrolar dos acontecimentos, como já falei antes. Tratando-se da temática que é, eu gostaria de ter visto erótico aqui também, já que pra mim a ideia é misturar o drama com toda a tensão sexual e quebrar um pouco o clima tenso e sombrio que fica no foco principal. Tendo retirado esse fator do livro, acabou que 'Setembro' mais pareceu somente um drama. Foi importante? Sim. Acho que de todos os volumes esse é com certeza o que Mia mais se mostra frágil e você a conhece ainda mais profundamente, mas persistir nessa tecla durante umas 180 páginas foi complicado de digerir, ainda mais porque a personagem já foi muito bem construída para mim nos outros últimos oito volumes que li, Não achei necessário ampliar ainda mais esse espaço. Contudo posso dizer que a historia ficou boa, e tirando o ritmo lento, é uma leitura legal, julgando que a autora tem muita imaginação (acreditem) e uma excelente tática de manter o leitor preso a uma série de 12 volumes. Seus plots finais sempre deixam aquele gostinho de preciso saber mais. A variação de temas trabalhados sem dúvida é o ponto chave dessa jornada.

Como 'Setembro' foi uma leitura desgastante, vou classificar este mês com 3 estrelas, pois mesmo não tendo o tema que me levou a ler a série, a autora soube levar a historia muito bem e conduziu um drama plausível.


Audrey Carlan é uma autora best-seller do New York Times, USA Today e do Wall Street Journal. Alguns de seus trabalhos incluem as séries Falling e Calendar Girl (no Brasil, "A Garota do Calendário", pelo Grupo Editorial Record, sob o selo Verus).





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se