28 agosto 2017

Resenha #158 - Nick e Norah - Uma Noite de Amor e Música!







Título: Nick e Norah - Uma Noite de Amor e Música
AutoresDavid Levithan, Rachel Cohn
Editora: Galera Record
Ano2009
Especificações: Brochura | 224 páginas
ISBN: 13: 9788501085405
 Sinopse 
O que pode acontecer quando dois adolescentes se conhecem por acaso em um caótico show de punk rock? Eles se apaixonam, é claro. Depois de um beijo, Nick e Norah vivem uma aventura pelos bastidores de NYC - um encontro repleto de alegria, ansiedade, confusão e entusiasmo, como deve ser a primeira vez.



**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************


Nick e Norah podem ser considerados mundos separados, mas estão prestes a colidir. Quando nas noitadas punk rock de New York, esses dois adolescentes se conhecem, transformações e situações inusitadas estão prestes a acontecer. Ambos quebrados, Nick está tentando superar o término de um relacionamento mal explicado e Norah tentando provar que é muito mais que a garota gélida que seu ex divulgou. Agora, em um encontro doido e inesperados, os dois vão se conhecer e se desencontrar em uma noite cheia de sentimentos, revelações e música.


'Nick e Norah - Uma Noite de Amor e Música' foi uma leitura gostosa, cheio de quotes marcantes bem ao estilo David Levithan. Com personagens desbocados e cheios de problemas, é um livro romântico e engraçado, tudo medido na dose certa.

Narrado em primeira pessoa, a leitura vem dividida entre os dois protagonistas. Por um lado acompanhamos o drama de Nick com a separação e por outro Norah, tentando lidar com seus rótulos e medos. Tanto Levithan quanto Cohn atuam bem no cenário narrativo. A química entre os autores é inegável e seus livros trazem sempre uma leitura fluída e divertida como garantia para quem se aventurar. Embora não seja o que apresenta a mensagem mais bonita ou importante, a obra tem representativa e insinua diversas situações que deixam a mente do leitor vagar e teorizar de uma maneira muito positiva. Eles atiçam sua imaginação e criam uma forma de que você pense na possibilidade sem que isso deixe buracos na narrativa.

Sempre penso em cada noite como uma canção. Ou cada momento como uma canção. Mas agora estou vendo que não vivo numa música só. Passamos de uma para a outra, de letra em letra, de acorde para acorde. Não há um fim aqui. É uma playlist infinita.

Meu único problema foi com a personagem Norah. Embora bem estruturada dentro do enredo, sua forma arrogante, inconstante e até fria de tratar Nick em alguns momentos, me geraram certa antipatia com a protagonista. Em diversas partes da história eu a achei individualista e muito presunçosa, como se fosse boa demais para estar gastando seu tempo com aquele mero garoto da balada. Seus capítulos demoraram um pouco para encaminhar. No entanto, isso não afetou minha experiência final. As diversas dicas de músicas, acompanhada do ritmo da leitura que parece combinar perfeitamente com a melodia proposta pelos autores, faz o leitor ir engolindo suas páginas por mais chata ou sem sentindo que seja a atitude da protagonista. Além disso, consegui me identificar com Nick logo na primeira página. Ele é sem dúvidas a mensagem mais ressaltada da trama. Assim como outros livros do autor, Levithan trata muito sobre a homoafetividade e como isso afeta as pessoas a sua volta. No caso de Nick a mensagem parece dizer que a convivência não faz ninguém aderir uma opção sexual por imposição ou contato. O autor quebra os esteriótipos de que héteros e homos não podem se relacionar em laços de amizade. Convivência e aceitação é a maneira certa de descrever o que o autor quis falar; complacência. E isso me encantou. Como sempre, suas críticas sociais são sempre finas e inteligente, sem precisar estampar do que realmente estamos falando, embora aquilo esteja presente no texto constantemente.

Outro ponto que foi um tanto quanto desnecessário é o uso exagerado de palavrões. Não tenho nada contra, mas a leitura com tantas palavras de baixo escalão tendem a me fazer desgostar um pouco da escrita. Não que reprima o uso nos livros, mas nesse caso, achei exagero.

Sem dúvidas eu amo a química entre esses dois autores e quero ler mais coisas com eles. Embora não seja o melhor da dupla (pra mim 'O Caderninho de Desafios de Dash e Lily' é ainda melhor), 'Nick e Norah - Uma Noite de Amor e Música' é uma leitura rápida, gostosa e despretensiosa, perfeita para sair de uma ressaca literária. 


A verdade é que as coisas mais interessantes na minha vida tende a emanar de minha imaginação e, em seguida, aparecem nos livros - a vida real, nem tanto. Mas no interesse de Ye Olde Book Report, aqui é a informação básica.
Nasci em 14 de dezembro de 1968 em Silver Spring, Maryland. Eu cresci na área de DC (Maryland suburbano), mas também passou os verões da minha infância em Massachusetts ocidental com os meus avós, então eu meio que sinto que estou a partir de dois lugares.
A partir do momento que eu aprendi a ler e escrever que eu estava sempre tentando criar histórias. Eu cresci cercado por livros e pela família que eram educadores - o desejo eo incentivo para escrever veio rapidamente em minha casa.




David Levithan (nascido em 07 de setembro de 1972, Short Hills, New Jersey) é um editor de ficção gay jovem americano adulto e autor premiado. Ele teve seu primeiro livro, Boy Meets Boy, publicado em 2003. Ele tem escrito inúmeras obras com personagens gays do sexo masculino, principalmente Boy Meets Boy e Nick and Norah's Infinite Playlist. Aos 19 anos, Levithan recebeu um estágio na Scholastic Corporation, onde começou a trabalhar na série The Baby-sitters Club. Dezessete anos depois, Levithan ainda está trabalhando para Scholastic como diretor editorial. Levithan é também o editor-fundador do PUSH, uma marca jovem-adulto da Scholastic Press enfocando novas vozes e novos autores.





11 comentários:

  1. Olá!!
    Eu assisti esse filme com a Isa (a outra dona do blog hehe), porque é um dos filmes favoritos dela. Eu adorei o filme, mas nunca li o livro. Não sei se leria depois de ter assistido ao filme, porque não costumo fazer isso, massss pode ser que eu dê uma chance......hahaha
    Beijos,
    Meise Renata.
    viciadas-em-livros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Re!
      Ahhhh eu adorei o filme, porque lá não tem tanto palavrão. E eu também vi o filme primeiro, mas sempre quis ler a obra. Recomendo que se tiver a oportunidade, leia. É bem diferente.

      Abraços
      David

      Excluir
  2. Oi, David!
    Eu estava tentada a ler esse livro até saber que o Levithan co-escreveu. Eu tenho trauma desse homem desde Will & Will...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!
      KKKKKKKKKKKK SÉRIO QUE VOCÊ NÃO GOSTA DO LEVITHAN? D: COMO ASSIM? Você tem que ler um livro solo dele. Os livros solos são muito superiores do que os de co-autoria. Recomendo inclusive. Tente ler Todo Dia.

      Abraços
      David

      Excluir
  3. Olá, David.
    O caderninho foi o único livro do autor que ele escreveu junto com outra pessoa que eu gostei. Os outros não gostei de nenhum. E esse não me interessou muito também não, principalmente ao ver o que você falou sobre a Norah. Achei engraçado eles colocarem a capa do filme, a editora geralmente não faz isso hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      O Caderninho é meu favorito em co-autoria, mas também amo Invisivel e gosto de Dash e Lily. Acho que os mais fracos são Will&Will e esse. Mas do Levithan eu prefiro os livros solos. Ele se sai melhor.

      Abraços

      Excluir
  4. É tão ruim quando tem algum personagem que a gente não consegue gostar. Comigo também é assim as vezes. Nunca li esse livro, gostei da resenha :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Esses personagens que a gente não consegue curtir são um saco, né?! De qualquer forma, parece ser uma leitura muito boa, fiquei curiosa!

    Beijos,
    Duas Livreiras / Sorteio "O gnomo Elias"

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho uma amiga que é apaixonada pelo filme, mas eu nem sabia da existência do livro (sou bem lerda, eu sei).
    Do David Levithan eu só li Will & Will e sou apaixonada, então estou querendo ler mais livros do autor.
    Achei muito interessante a história, acho que talvez eu não vá gostar tanto da protagonista também, mas como você falou, é muito bom a mensagem que o autor traz mesmo sem estar diretamente mostrando. A essência é real.
    Vou adicionar na minha lista porque eu acredito que vou gostar bastante da história.
    Adorei a resenha!
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Eu recomendo muito mesmo os livros solo do autor. Se você ainda não leu Todo Dia ou Dois Garotos de Beijando, estão super indicados. São mil vezes superiores aos de co-autoria. Se você gostou de Will&Will (eu acho o mais fraco dele), vai amar esses dois que eu falei ^^
      Espero que goste da leitura. Volte para conversarmos quando ler!

      Abraços
      David

      Excluir

Expresse-se