30 setembro 2017

Resenha #160 - Meu Coração e Outros Buracos Negros!



Título: Meu Coração e Outros Buracos Negros
Autora: Jasmine Warga
Editora: Rocco
Ano: 2016
Especificações: Brochura |312 páginas
ISBN: 13: 9788579802683
 Sinopse
Um tema amargo, mas necessário. Em Meu coração e outros buracos negros, a estreante Jasmine Warga apresenta aos leitores um romance adolescente que aborda, de forma aberta, honesta e emocionante, o suicídio. Aysel, a protagonista, enfrenta problemas com a família e os colegas de escola, como tantos jovens por aí, e, aos 16 anos, planeja acabar com a própria vida. Mas quando ela conhece Roman num site de suicídio, em busca de um cúmplice que a ajude a planejar a própria morte, num pacto desesperado, a vida dos dois literalmente vira de cabeça para baixo. Aos poucos, Aysel percebe que seu coração ainda é capaz de bater alegremente. E ela precisará lutar por sua vida, pela vida de Roman e pelo amor que os une, antes que seja tarde.

**********************************************************************
AVALIAÇÃO PESSOAL
**********************************************************************



Tudo é subjetivo na mente humana. Nossas emoções, nossas opiniões, são todas relativas. Tudo depende do ponto de vista.


Um YA sick-lit pesado e muito forte, que começa de forma abrupta e envolve o leitor em uma trama densa. 'Meu Coração e Outros Buracos Negros' começou desde a primeira página como uma leitura devastadora que vai apaziguando ao desenvolver da trama. Diferente de outros autores, que preferem iniciar seus romances depressivos de maneira mais leve, Jasmine Warga não poupou esforços em começar sua obra da forma mais crua e sombria possivel.

Aysel, nossa protagonista, está tentando lidar com os problemas familiares e com os colegas de escola que vivem a olhá-la de maneira assustadora. Aos 16 anos, ela planeja dar cabo de sua vida, mas para formular esse plano, ela precisa de um cúmplice. Através de um site de suicídio, Aysel conhece Roman, o parceiro perfeito para a morte perfeita. Ambos começam a planejar seu momento final, mal sabendo que a relação que vai se desenvolvendo aos poucos pode mudar tudo. Sem perceber, Aysel se vê em um beco sem saída enquanto tenta lutar por sua vida, pela de Roman e pelo amor que nasce dessa amizade nada esperada.

Às vezes imagino que meu coração é como um buraco negro - tão denso que não há espaço para a luz, mas isso não significa que não possa me sugar para dentro dele.

Narrado em primeira pessoa, vemos a obra toda pelos olhos de Aysel, e isso não é um ponto negativo, embora variar de um protagonista para o outro não fosse uma má ideia nesse caso. Desde o começo a autora parece guiar o leitor por um caminho que parece claro, mas ao fim, as reviravoltas surpreende e criam uma nova possibilidade. Eu gostei bastante da leitura. Foi intensa, pesada, mas ao mesmo tempo, leve e fluída. O clima girando por todo o enredo é denso, sombrio. A todo instante fica bem claro que as decisões da personagem vão guiar o leitor por uma leitura triste e cheia de passagens marcantes. E embora o desenvolvimento de Aysel não seja o melhor, para um livro estreante, Warga se saiu muito bem. Pelo menos para mim. Ela conseguiu me cativar não pelo drama da protagonista, mas por toda a carga emotiva que envolve sua relação com seus familiares ou até mesmo o drama mais secundário da outra parcela da obra, Roman. Os motivos que levam Aysel a pensar no suicídio, a mim, ficaram escusos. Eu não consegui entender bem quais motivações eram realmente relevantes, já que ela aparenta ter muitas, e esses sub problemas não são bem executados, focando apenas no planejamento de sua morte e sua relação com o pai, maior causador de suas decisões. Senti uma carência de conhecer mais a fundo a relação dela com os irmãos, mãe e padastro. Esse buraco, infelizmente o livro não conseguiu fechar, e talvez esse seja um dos motivos pelo qual não favoritei. Em alguns momentos não conseguia me conectar com a personagem, porque suas oscilações de humor parecem superficiais demais, ou não haviam uma explicação concreta. Talvez o livro tivesse um sentindo mais cruel e sentimental se seguíssemos Roman durante a leitura. A sua história é forte, pesada e parece ocultar a de Aysel em diversos momentos, devido a todo o tom mais complicado que ela parece ter. Suas motivações para cometer o suicídio não só são justificada, como a todo instante você está sentindo empatia pelo personagem. Mas assim como Aysel, sua relação com os pais também não é bem aproveitada. E esse, pelo que tenho notado em outros livros com a mesma temática, parece ser um problema habitual. Os país sempre ficam muito em segundo plano, para que o romance tenha mais espaço, sendo que abordar todo esse conjunto é de suma importância para enfatizar o sofrimento do personagem. Por esse motivo, o desenvolvimento desses sub problemas foi pra mim, o fator mais negativo da obra.

Mas isso não modifica toda a mensagem positiva e verdadeira que circula a trama. Apesar do clima denso e sombrio, 'Meu Coração e Outros Buracos Negros' abre espaço para falar que às vezes nós só não queremos enxergar a ajuda, embora ela exista. No meio de tanta depressão, constantemente os personagens parecem encontrar alguém que queira ajudá-los, e ao mesmo tempo ignoram ou não notam. A temática foi muito bem trabalhada pela autora, e nesse sentido, o livro não me decepcionou. Diferente da leitura de 'Os 13 Porquês', que não estabelece bem os 'crimes' e situações que a protagonista sofre, aqui as coisas são bem explicadas nesse patamar e fazem o leitor querer saber quais rumos essa história vai tomar. Fora que o livro possui citações maravilhosas, que estão sempre brincando entre as palavras e a matemática. São incontáveis citações que tocam o leitor com toda a sua veracidade e gentileza.

Todos queremos acreditar que todo dia será diferente, que todo dia vamos mudar, mas na verdade parece que certas coisas são programadas dentro da gente desde o início.

Talvez seja tudo relativo, não apenas a luz e o tempo, como Einstein teorizou, mas tudo. Como a vida pode ser terrível e incorrigível até o universo mudar um pouco e o ponto de observação ser alterado e, de repente, tudo parece mais suportável.

Embora direta, Warga desenvolve bem o romance entre os personagens e não deixa que isso afete seus modos de pensar de maneira que se torne algo meloso ou muito surreal. O casal forma-se com tanta maestria que o leitor mal percebe em meio a tantos outros assuntos mais importantes para notar.

Uma vez, li em um livro de física que o universo pede para ser observado, que a energia viaja e se transfere quando as pessoas prestam atenção. Talvez seja a isso que o amor se resume: ter alguém que se importa a ponto de prestar atenção para que se tenha coragem de viajar e se transferir, fazer sua energia potencial cintilar até virar energia cinética. Talvez o que todo mundo precise é de alguém para percebê-lo, observá-lo.

'Meu Coração e Outros Buracos Negros' não é o melhor livro do tema suicídio que eu já li. Esse posto ainda fica com 'Por Lugares Incríveis', mas classificaria ele facilmente como o terceiro melhor. Apesar de certos pontos não terem sido desenvolvidos adequadamente, precisando de maior espaço na trama, a leitura é válida e tem um teor positivo. Warga apresenta personagens interessantes em uma situação inusitada que faz o leitor seguir a leitura pela mero prazer de saber como tudo pode acabar em um livro onde o final parece tão previsível. E ela surpreende. Esse mérito dela, não posso roubar.


Jasmine Warga vive em uma cidade pequena no estado de Ohio, ela gosta de animais (principalmente de Salvador, seu gato, e Scout, seu cachorrinho), café gelado, a noite noturna, música e manhãs chuvosas. Meu Coração e Outros Buracos Negros é o seu primeiro livro.






6 comentários:

  1. Oi
    já vi falarem bem dele, quero ler apesar do tema pesado da história, que bom que gostou da leitura. Suicídio é um tema bem pesado nas leituras.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise!
      Recomendo. Como você viu eu gostei muito.

      Abraços
      David

      Excluir
  2. Oiii David

    Não gosto muito de sick lit, a maioria me deprime se te sou bem sincera mas Meu coração e outros buracos negros é um dos raros exemplos em que ao meu ver a autora soube tratar o tema sem perder a leveza e ainda assim passar sua mensagem de maneira fácil de entender. Esse livro é ótimo mesmo.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice!
      Tambem achei. Ela trabalhou tudo muito bem e não pareceu forçado ou fluiu mais devagar.

      Abraços
      David

      Excluir
  3. olá!
    honestamente, quando via a capa do livro, fiquei pensando que eu não gostaria da história, mas quando você disse que ele não poupa o leitor e narra os fatos como são, eu fiquei bem mais interessada.
    eu amo livros que são mais voltados para os personagens, e mesmo que você tenha dito que o desenvolvimento da protagonista não tenha sido dos melhores, eu tive a impressão de que vou gostar.

    Abraços!
    https://www.youtube.com/watch?v=kZ4MASP1R58

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      Espero que consiga ler. Eu gostei bastante

      Abraços
      David

      Excluir

Expresse-se